Pesquisar este blog

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Não dá mais pra mim

Tudo bem que hoje em dia os 30 são os novos 20. Tudo bem que estamos mais em forma, mais dispostas e até com mais grana pra gastar do que as mulheres da geração anterior (ainda que me pareça, sinceramente, que elas tinham muito mais pique do que nós: aquele tanto de filhos, o marido preguiçoso, uma casa fonte de pepinos... e sempre dispostas!). Tudo bem que não há mais limite de idade pra sair por aí bebendo uns drinques, chacoalhando o quadril e, quem sabe, beijando alguma(s) boca(s).

Mas chega a hora que você, minha querida, não serve mais para a balada. E essa hora vem sem avisar (com os homens é diferente; eles nunca sabem quando parar – e não é por falta de informação ou dica). Não se trata de atingir uma idade específica. Afinal, as mulheres já provaram que hoje são elas que ditam suas próprias regras. Quer dizer, até o dia em que a natureza se impõe, o momento temido surge (do nada e com tudo) e exaure toda e qualquer força baladística que existe no seu corpo! Você simplesmente fica atrofiada, definha.

Passei por isso na última semana. Após meses praticamente criando raízes em casa, fui intimada a sair. Já achava que não ia dar certo; sentia que meu momento noitada tinha morrido, mas topei. O problema é que, chegando ao local, eu e minha “intimadora” nos demos conta de que nossa hora chegou. Pra valer.

Então, aqui vão dicas para você que sente que seu momento também chegou.

Tenha certeza de que sua fase balada passou quando:
1. Você é a única de vestido longo e florido, rasteirinha, roupas soltas ou corpo praticamente coberto na noite. Mulher em sintonia com a balada só vai de roupa curta, apertada, em tons neon ou com brilho, saltão e decote, muito decote;
2. Você não aguenta sair sem casaco e, quando o faz, sente frio, muuuuuuuuuuito frio (tanto que só pensa em fugir correndo da fila e cair na cama quentinha!). Mulheres talhadas para a noite não sentem frio nunca;
3. Você mal entra no local e já reclama da música alta. Esse negócio de “tá fazendo muito barulho e “não tô te ouvindo direito” é coisa de gente velha. Gente preparada gosta de lascar o tímpano;
4. Você reclama do excesso de pessoas. Quer coisa mais gagá do que isso? Neguinho baladeiro AMA lotação! Mais biscoito no pacote para poder escolher! E você aí se queixando;
5. Você fica contando os minutos para ir embora e embarcar naquele sono bom, longo, profundo! Noiteiro que se preze não arrasta o pé da farra antes das 5h!;
6. Você para de beber com medo da Lei Seca. Imagina ficar sem carteira? Mas quem é profissional do ramo está sempre com um copo de álcool na mão! E de olho no Waze pra driblar a fiscalização, claro!

Viu? Às vezes, é preciso admitir a derrota e se dedicar àquilo que se faz bem: comer e dormir.

12 comentários:

Anônimo disse...

Tá na hora de casar...

Ju disse...

Muito booooooom!!! Me identifiquei demais!!! Hahahahahaha!!! Beijo da Ju Bahia

Anônimo disse...

Nossa, foi como me olhar no espelho!...rsrsrs
Paty

Ana Cristina disse...

Hoje li uma frase ótima: "Sair toda noite é pra gente triste". É isso aí.

Sheyla disse...

Amiiiiga! Texto excelente mais uma vez! E preciso confessar que já me sinto assim há pelo menos uns 2 anos! Tanto que vc já me ouviu falar da meta de "uma balada por mês"!kkkkk Esse lance de sair sem casaco, não dá meeeesmo!kkkk

Anônimo disse...

Muito bom...só não acho que isso seja uma derrota e sim uma nova fase, como muitas outras que virão! Digamos que existem vários tipos de baladas, as tradicionais, azaração, cineminha, pipoca/edredon... o importante é o estado de espírito.

Anônimo disse...

Adorei, Mari!!!!
Didi

Anônimo disse...

Gostei. Muito legal.
Zé Mário.

David Borges disse...

E não é uma característica exclusiva da mulher ;)

Anônimo disse...

Hahahaha muito bom!

Minha amiga (linda, inteligente, bem sucedida) já se aproximando da metade dos 3.0, enrolada com um cara enrolado, sem previsão de casamento, sem previsão de filhos e eu, 3 anos mais nova e casada há mais de 2, confesso (de modo machista, admitido)tô com peninha....

Não é fácil ser mulher....

É certo eu ter esse sentimento em relação a ela ?

Me sinto culpada, mas é inevitável, sinto o que as pessoas tb sentem e não admitem dizer...

Bya.

Mari Abreu disse...

Bya, você não tem "culpa" por sentir isso da sua amiga, mas acaba que esse sentimento seu, que é também coletivo, vira uma pressão muitas vezes insuportável e acaba nos deixando desesperadas! No entanto, prefiro acreditar que, quando casamos mais velhas, casamos melhor! :)

Anônimo disse...

http://biscatesocialclub.com.br/2013/01/discurso-biscate/

Postar um comentário