Pesquisar este blog

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Eu quero ser a Amélie Poulain

Foi amor à primeira vista. Identificação à primeira vista. Fascinação à primeira vista. O filme “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain” me apresentou um mundo novo, lindo e mágico (sei que ele é velho, mas mesmo assim mexe comigo e rende crônica! Oras! Rs). Como não adorar uma moça que ajuda o destino a cumprir seu papel de fazer o mundo feliz?

O melhor é que ela opera em segredo e assim fica parecendo que foi mesmo Deus quem ouviu aquelas preces mais íntimas. Amélie ainda se diverte ao observar a reação de cada uma das pessoas com as “surpresas” organizadas por ela.

Além desse lado anjo da guarda, adoro como Amélie é feliz. Adoro as pequenas coisas que trazem prazer a ela, coisas que para muitos de nós parecem banais, pequenas, como, por exemplo, enfiar os dedos em um saco de grãos – e senti-los comprimir o indicador, escorregar pela mão, afundar com a pressão inesperada...

Talvez é por isso que me sinto tão bem ao assistir à Amélie. Ela me faz lembrar que a beleza da vida está nas pequenas coisas, nos pequenos gestos; que é preciso muito pouco para levar uma existência mais doce e amena; mas, principalmente, fica claro pelo filme que a diferença entre ser ou não feliz está em nossas mãos, depende apenas de nós.

E não há nada mais gratificante do que isso.

8 comentários:

Will disse...

Esse filme é realmente sensacional!

Adorável forma como expôs sua impressão sobre ele.

Uma semana maravilhosa para você, Mari!

Katrine disse...

Amiga, excelente constatação! Eu super concordo, mas é engraçado que precisamos parar para nos "lembrar" disso de vez em quando, para não deixar que a vida atribulada nos leve a pensar o contrário, né... E vamos ser felizes! ;)

Sheyla disse...

Acredita que até hj não assisti a esse filme?! Mas depois dessa crônica, vou pegar pra ver urgente!!! É simples assim, mas a gente insiste em esquecer disso, né? Bjksss, lindona!!

Jaci disse...

Tb não vi esse filme, mas fiquei muito curiosa. Dá um alívio saber que podemos encontrar a felicidade nas pequenas coisas da vida, nos pequenos detalhes, que, na maioria das vezes, passam sem ser notados. Estava pensando outro outro dia que sofrer ou ser feliz depende mais da nossa postura diante dos fatos do que daquilo que realmente acontece com a gente. Quero ver esse filme!! Mari, amei começar a semana com seu texto delicioso!!!! Beijo!

Anônimo disse...

Um filme lindo mesmo. A crônica faz jus à película. Parabéns, Mari! Do seu amigo, Emerson Douglas

Cinduca Guerreiro disse...

Preciso assistir urgente! Bjs

Carol disse...

Amada, até hoje não vi esse filme, mas tenho certeza de que vou amar! Desde que o Laurence foi servir no Sudão, valorizo demais as pequenas coisas que podem nos fazer felizes. Enquanto as pessoas não se cumprimentam no dia-a-dia, pra mim, é a glória poder ouvir a voz dele ao telefone, poder dormir abraçadinha, ficar em casa sem fazer nada, só pelo prazer da companhia dos braços dele ao meu redor. Vamos celebrar a felicidade de estarmos vivos, com saúde e rodeado de família e amigos! Te amo, lindona! Beijos!

Eli Ramos disse...

Adoro esse filme tbm. Tenho em casa e sempre que quero me sentir uma pessoa melhor assisto ele ... hahaha. Conheci esse filme ah uns 8 anos atras num desses testes de internet tipo "que filme vc é" e o meu resultado foi “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain”... Foi amor a 1ª assistida!
Bjs

Postar um comentário